Trabalho em Altura!

quarta-feira, Janeiro 10, 2018

Quem deve fazer o curso da NR-35?

 
A Norma Regulamentadora nº 35 ou NR-35, cujo recebe o título de “Trabalho em Altura”, foi aprovada pela Portaria 
n.º 313, de 23 de março de 2012 do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE. 
 
A norma regulamentadora nº 35 estabelece 
os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e 
a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com esta 
atividade.
Segundo ao subitem 35.1.2 da norma regulamentadora 
nº 35, considera o trabalho em altura toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde 
haja risco de queda.
 

Profissionais que devem fazer o curso da NR-35

 
De acordo ao subitem 35.3.1 da norma regulamentadora nº 35, estabelece que:
 
“35.3.1 O empregador deve promover programa para capacitação dos trabalhadores à realização de trabalho em altura.”
 
Considera-se o trabalhador capacitado para trabalho em altura aquele que foi submetido e aprovado em treinamento, 
teórico e prático, com carga horária mínima de oito horas, cujo conteúdo programático deve, no mínimo, os seguintes 
temas:
 
a) Normas e regulamentos aplicáveis ao trabalho em altura; 
b) Análise de Risco e condições impeditivas; 
c) Riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle; 
d) Sistemas, equipamentos e procedimentos de proteção coletiva; 
e) Equipamentos de Proteção Individual para trabalho em altura: seleção, inspeção, conservação e limitação de uso; 
f) Acidentes típicos em trabalhos em altura; 
g) Condutas em situações de emergência, incluindo noções de técnicas de resgate e de primeiros socorros.
 
O programa de capacitação do trabalhador para trabalhos em altura deve ser estruturado da seguinte forma:
 
Treinamento Inicial – Deverá ser realizado antes dos trabalhadores iniciarem suas atividades em altura; 
Treinamento Periódico – Deverá ser realizado bienalmente, ou seja, a cada dois anos. O treinamento periódico deverá ter 
carga horária mínima de 8 (oito), conforme conteúdo programático definido pelo empregador; 
Treinamento Eventual – Deverá ser realizado sempre que ocorrer quaisquer das seguintes situações abaixo: 
a) Mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho; 
b) Evento que indique a necessidade de novo treinamento; 
c) Retorno de afastamento ao trabalho por período superior a noventa dias; 
d) Mudança de empresa. 
 
O treinamento eventual deverá ter a carga horária e o conteúdo programático em atendimento a situação que o motivou.
 
 
 
 
Fonte: INBEP http://blog.inbep.com.br/profissionais-que-devem-fazer-o-curso-de-nr-35/ .


Share